Dimensions
PlumX
Cómo citar
Marino, I. K., & Moura, P. G. (2021). Internacionalização e ação social: o caso da Construtora Norberto Odebrecht. Tiempo Y economía, 8(2), 136-161. https://doi.org/10.21789/24222704.1756

Resumen

A Construtora Norberto Odebrecht (CNO) está presente em mais de 40 países, conformando-se como peça-chave no projeto de internacionalização da Organização Odebrecht, um dos maiores conglomerados empresariais do Brasil. Nesse contexto, propomos uma análise das intersecções entre a internacionalização da CNO e a sua ação social sem finalidades diretamente lucrativas, vista por nós como uma constante. A partir de uma análise ampla do processo, abordamos diversos países e momentos desse tipo de intervenção. Com isso, almejamos desenhar um estudo de caso, identificar seus referenciais históricos mais extensos e destacar que a ação social empresarial da CNO é parte essencial da sua estratégia de sucesso, remetendo aos preceitos do terceiro setor e do neoliberalismo.

Licencia

Creative Commons License
Esta obra está bajo licencia internacional Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObrasDerivadas 4.0.

Citas

Alves, M. A. (2002). Terceiro setor: as origens do conceito. ENANPAD, 26.

Andrade, L. M. (2014). Neoliberalismo e hegemonia burguesa: ação social empresarial através dos Institutos Ethos de Responsabilidade Social Empresarial e Empresas e Gife (Grupos de Institutos, Fundações e Empresas (dissertação de mestrado em Ciências Sociais, Universidade Estadual Paulista, Brasil).

Barbosa, L. (2002). Globalização e cultura de negócios. Em A. M. Kirchner, E. Gomes, & P. Cappelin (orgs.), Empresa, empresários e globalização (pp. 211-226). Relume-Dumará/FAPERJ.

Bianchi, A. (2001). Hegemonia em construção: a trajetória do Pensamento Nacional de Bases Empresariais. Xamã.

Calegare, M. (2005). A transformação social no discurso de uma organização do terceiro setor (dissertação de mestrado em Psicologia Social e do Trabalho, Universidade de São Paulo, Brasil).

Calegare, M., & Silva Júnior, N. (2009). A “construção” do Terceiro Setor no Brasil: da questão social à organizacional. Psicologia Política, 9(17), 129-148.

Campos, P. H. (2015) Estranhas catedrais: as empreiteiras brasileiras e a Ditadura civil-militar (1964-1988). EDUFF.

Camarotti, I., & Spink, P. (2003). O que as empresas podem fazer pela erradicação da pobreza. Instituto Ethos.

Chamayou, G. (2020). A sociedade ingovernável: uma genealogia do liberalismo autoritário. Ubu Editora.

Cheibub, Z., & Locke, R. (2002). Valores ou interesses. Reflexões sobre a responsabilidade social das empresas. Em A. M. Kirchner, E. Gomes, & P. Cappelin (orgs.), Empresa, empresários e globalização (pp. 279-291). Relume-Dumará/FAPERJ.

Corry, O. (2010). Defining and theorizing the third sector. Em R. Taylor (ed.), Third Sector research (pp. 11-20). Springer, International Society for Third-Sector Research. https://doi.org/10.1007/978-1-4419-5707-8_2

Dantas, R. M. (2007). Odebrecht — a caminho da longevidade saudável? (dissertação de mestrado em Administração, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil).

Dardot, P., & Laval, C. (2016). A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. Boitempo.

Diniz, E. (2016). Empresariado e projeto neoliberal na América Latina: uma avaliação dos 133 anos 80. Em J. Szwako, R. Moura, & P. D’avila Filho (orgs.), Estado e sociedade no Brasil: a obra de Renato Boschi e Eli Diniz (pp. 133-156). CNPq, FAPERJ, INCT/PPED, Ideia D.

Fernandes, R. C. (1994). Privado, porém público: o terceiro setor na América Latina. Relume-Dumará.

Draibe, S. (1985). Rumos e metamorfoses: estado e industrialização no Brasil, 1930-1960. Paz e Terra.

Ferraz Filho, G. T. (1981). A transnacionalização da grande engenharia brasileira (dissertação de mestrado, Universidade Estadual de Campinas, Brasil).

Fundação Odebrecht. (n. d.). Linha do tempo. https://www.fundacaoodebrecht.org.br/a-fundacao/linha-do-tempo/index.html

Harvey, D. (2005). A brief history of neoliberalism. Oxford University Press. https://doi.org/10.1093/oso/9780199283262.001.0001

Harvey, C., Maclean, M., & Suddaby, R. (2019). Historical perspectives on entrepreneurship and philanthropy. Cambridge University Press. https://doi.org/10.1017/S0007680519000953

Instituto Ethos. (1999). O que as empresas podem fazer pela educação. CENPEC/Instituto Ethos.

Lopes, E. A. (2018). Welfare State: teoria e história. CRV. https://doi.org/10.24824/978854442635.7

Mazola, H. J., & Oliveira Junior, M. (2006). Compartilhando conhecimento na internacionalização de serviços de engenharia: estudo de caso da Construtora Norberto Odebrecht. 30° Encontro da Anpad.

Montaño, C. (2005). Terceiro Setor e questão social: crítica ao padrão emergente de intervenção social. Cortez.

Odebrecht, E. (2008). A atuação internacional da Organização Odebrecht. Discurso de abertura do XX Fórum Nacional Brasil — Um novo mundo nos trópicos: 200 anos de independência econômica e 20 anos de Fórum Nacional. 26-30.

Odebrecht, N. (2002). Sobreviver, crescer e perpetuar — Tecnologia Empresarial Odebrecht V.1. V.2. V.3. Fundação Odebrecht.

Odebrecht. (n. d. a). A Odebrecht. História. https://www.odebrecht.com/pt-br/organizacao-odebrecht/historia. Internet Archive: https://web.archive.org/web/20200511160700/https://www.odebrecht.com/pt-br/organizacao-odebrecht/historia

Odebrecht. (n. d. b). Cidades e regiões. https://www.odebrecht.com/ptbr/sustentabilidade/politica-sobre-sustentabilidade/valorizacao-da-cultura/cidades-e-regioes

Odebrecht. (2016). Odebrecht conquista novo contrato nos Estados Unidos. https://www.odebrecht.com/pt-br/comunicacao/noticias/odebrecht-conquista-novo-contrato-nos-estados-unidos. Internet Archive: https://web.archive.org/web/20170325172810/http://www.odebrecht.com/pt-br/comunicacao/noticias/odebrecht-conquista-novo-contrato-nos-estados-unidos.

Odebrecht (n.d. c). Sustentabilidade. https://www.odebrecht.com/pt-br/sustentabilidade. Internet Archive: https://web.archive.org/web/20200511143106/https://www.odebrecht.com/pt-br/sustentabilidade

Organización Odebrecht. (2014). IIRSA SUR. http://www.odebrechtlatinvest.com/activos/iirsa-sur.html. Internet Archive: https://web.archive.org/web/20200128115845/http://www.odebrechtlatinvest.com/activos/iirsa-sur.html

Odebrecht S. A. (2007). Relatório anual 2006/2007. Odebrecht S. A. https://www.novonor.com.br/sites/default/files/port_ra_impressao_05_jun_2007.pdf

Odebrecht S. A. (2008). Relatório anual 2007/2008. Odebrecht S. A. https://www.novonor.com.br/sites/default/files/relatorio_anual_2008_portugues.pdf

Odebrecht S. A. (2010). Relatório anual 2009/2010. Odebrecht S. A. https://www.novonor.com.br/sites/default/files/relatorio_anual_2011_pt.pdf

Oliveira, A. M. (1991). Angola e a Expressão de sua Cultura Material. Odebrecht.

Pereira, J. (2009). O Banco Mundial como ator político, intelectual e financeiro (1944-2008) (tese de doutorado em História, Universidade Federal Fluminense, Brasil).

Pereira, N., Pimentel, R., & Kato, H. (2005). Expatriação e estratégia internacional: o papel da família como fator de equilíbrio na adaptação do expatriado. Revista de Administração Contemporânea, 9(5), 53-71. https://doi.org/10.1590/S1415-65552005000400004

Polidoro, M. (2010). Odebrecht — A comunicação como processo e a construção de culturas. Em M. Marchiori (org.), Comunicação e organização: reflexões, processos e práticas (pp. 325-334). Difusão Editora.

Portocarrero, F., & Sanborn, C. (eds.). (2005). Philanthropy and Social Change in Latin America. Harvard University Press.

Reagan, R. (1986). Radio Address to the Nation on Welfare Reform. Ronald Reagan presidential library and museum. https://www.reaganlibrary.gov/research/speeches/21586a

Revista Odebrecht Informa. (1980). 25.

Revista Odebrecht Informa. (1986). 37.

Revista Odebrecht Informa. (1988a). 40.

Revista Odebrecht Informa. (1988b). 41.

Revista Odebrecht Informa. (1994a). 61.

Revista Odebrecht Informa. (1994b). 65.

Revista Odebrecht Informa. (1995). 68.

Revista Odebrecht Informa. (1998). 86.

Revista Odebrecht Informa. (2004a). 112.

Revista Odebrecht Informa. (2004b). Edição histórica 60 anos.

Salamon, L. (1998). A emergência do terceiro setor — uma revolução associativa global. Revista de Administração, 33, 5-11.

Soares, L. T. (1998). Ajuste neoliberal e desajuste social na América Latina. UFRJ.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.
Sistema OJS - Metabiblioteca |