Dimensions
PlumX
Cómo citar
CarnutL., TeixeiraG. A. T., & ValenciaG. A. (2020). O pensamento econômico em saúde de Hésio Cordeiro sobre o financiamento da saúde pública no Brasil e a intervenção anticíclica em Claudio Napoleoni. Tiempo Y economía, 8(1). https://doi.org/10.21789/24222704.1629

Resumen

Neste artigo, realiza-se uma reflexão teórica sobre como Hésio Cordeiro, um dos sanitaristas mais influente dos anos de 1980, tratou o problema do financiamento da saúde em sua obra, sob a influência de Claudio Napoleoni. Para isso, usou-se o ensaio como modalidade textual e, como método, a análise de conteúdo. O texto está estruturado em três partes. A primeira descreve uma breve biografia intelectual e político-institucional de Hésio Cordeiro e de Claudio Napoleoni a fim de situá-los historicamente. A segunda versa sobre como Cordeiro foi inspirado por Napoleoni ao analisarmos as soluções anticíclicas para pensar a saúde pública nos anos de 1980. Por último, a terceira aponta uma breve consideração final para valorizarmos a importância de Cordeiro como um intelectual propositor de soluções progressistas para a saúde no seu tempo.

 

Licencia

Creative Commons License
Esta obra está bajo licencia internacional Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObrasDerivadas 4.0.

Citas

Adorno, T. W. (2003). Notas de literatura I. Editora 34.

Bauer, M. W. (2000). Análise de conteúdo clássica: uma revisão. Em M. W. Bauer & G. Gaskell. (orgs.), Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som — um manual prático (8. ed., pp. 189-217). Vozes.

Bellofiore, R. (1991). La passione della ragione: scienza economica e teoria critica in Claudio Napoleoni. Edizioni Unicopli.

Boschetti, I. (2016). Assistência social e trabalho no capitalismo. Cortez.

Bravo, M. I. S. (2015). Serviço Social e reforma sanitária: lutas sociais e práticas profissionais. Cortez.

Buss, P. M. (1988). Medicina social no Brasil: esboço do perfil de um pioneiro. Cadernos de Saúde Pública, 4(3), 342-348. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X1988000300010

Carvalho, D. G. (2017). Contribuição social para financiamento da seguridade social (Cofins): principais entraves (jurídicos e econômicos) e proposta de mudança da Lei nº 10.833/2003. Em A. Sachsida (ed.), Tributação no Brasil: estudos, ideias e propostas: ICMS, seguridade social, carga tributária, impactos econômicos (pp. 65-122). Ipea.

Centro Brasileiro de Estudos de Saúde [CEBES]. (2014). Medicina Social e Saúde Coletiva: Nelson Ibañez entrevista Hésio Cordeiro. http://cebes.org.br/2014/03/medicina-social-e-saude-coletiva-entrevista-com-hesio-cordeiro/

Codato, A. N. (2005). Uma história política da transição brasileira: da ditadura militar à democracia. Revista de Sociologia e Política, 25, 83-106. https://doi.org/10.1590/S0104-44782005000200008

Collona, M. (2000). Claudio Napoleoni. Em P. Arestis & M. Sawyer (orgs.), A biographical dictionary of dissenting economists (pp. 433-441). Edward Elgar.

Cooper, J. (2019). Healthcare expenditure, UK health accounts: Office for national statistics. https://www.ons.gov.uk/peoplepopulationandcommunity/healthandsocialcare/healthcaresystem/bulletins/ukhealthaccounts/2017

Cordeiro, H. (1985). Financiamento do setor de saúde: proposta para a transição democrática. Saúde em debate, 17, 37-40. http://docvirt.com/asp/acervo_cebes.asp?Bib=SAUDEDEBATE&PASTA=N.17+-+jul&pesq=&x=57&y=11

Daim, S. (1984). Só déficit fiscal financia Programa de Emergência. Economia em Perspectiva, p. 4.

Dantas, A. V. (2017). Do socialismo à democracia: tática e estratégia na Reforma Sanitária brasileira. Editora Fiocruz.

Escorel, S. (1999). Reviravolta na saúde: origem e articulação do movimento sanitário. Editora Fiocruz.

Fiocruz. (2014). Memorial: conheça um pouco da trajetória e as principais contribuições de Hésio Cordeiro. https://portal.fiocruz.br/sites/portal.fiocruz.br/files/memorial_-hesio_de_albuquerque_cordeiro.pdf

Fundação de Economia e Estatística [FEE]. (2020). Atualização de valores. https://arquivofee.rs.gov.br/servicos/atualizacao-valores/

Fundação Nacional de Saúde/Ministério da Saúde [Funasa]. (2017). Cronologia Histórica da Saúde Pública. http://www.funasa.gov.br/cronologia-historica-da-saude-publica

Gadelha, C. A. G. (2012). Dinâmica dos investimentos no subsistema de base química e biotecnológica. Em C. A. G. Gadelha (ed.), A dinâmica do sistema produtivo da saúde: inovação e complexo econômico-industrial (pp. 47-104). Editora Fiocruz. https://doi.org/10.7476/9788575415931.0004

Gomes, Â. C. (1996). Política: história, ciência, cultura etc. Estudos Históricos — Historiografia, 9(17), 59-84. https://cpdoc.fgv.br/producao_intelectual/arq/542.pdf

Longhi, C. R., & Gentile, F. (eds.). (2019). Ditadura e violência institucional. EDUC.

Machado, C. V., Lima, L. D., & Baptista, T. W. F. (2017). Políticas de saúde no Brasil em tempos contraditórios: caminhos e tropeços na construção de um sistema universal. Cadernos de Saúde Pública, 33(2), e00129616. https://doi.org/10.1590/0102-311x00129616.

Mathias, T. S. (2020). Sistema da dívida pública e política de saúde: tratamento incorporado ao debate da saúde coletiva brasileira (tese de doutorado em Serviço Social, Universidade Federal do Rio Grande do Norte). Repositório Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Marxists Internet Archive [MIA]. (2020). Seção em português. Claudio Napoleoni. https://marxists.architexturez.net/portugues/napoleoni/index.htm

Ministério da Saúde do Brasil (2019). 8ª Conferência Nacional de Saúde: quando o SUS ganhou forma. http://conselho.saude.gov.br/ultimas-noticias-cns/592-8-conferencia-nacional-de-saude-quando-o-sus-ganhou-forma

Ministério do Planejamento do Brasil. (2016). Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). http://pac.gov.br/

Miranda, A. S. (2017). Institucionalidades jurídicas e administrativas de estabelecimentos de saúde nas regiões do Brasil. Novos Caminhos, 16. Pesquisa política, planejamento e gestão das regiões e redes de atenção à saúde no Brasil. https://www.resbr.net.br/wp-content/uploads/2017/04/Novos_Caminhos_16.pdf

Mondaini, M. (2006). Há trinta anos, o eurocomunismo. https://www.acessa.com/gramsci/?id=535&page=visualizar

Napoleoni, C. (1979). A intervenção anticíclica. Em C. Napoleoni (org.), Curso de economia política (pp. 357-364). Edições Graal.

Organização Pan-Americana da Saúde [OPAS]. (2019). Países estão gastando mais em saúde, mas pessoas ainda pagam muitos serviços com dinheiro do próprio bolso. https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5874:paises-estao-gastando-mais-em-saude-mas-pessoas-ainda-pagam-muitos-servicos-com-dinheiro-do-proprio-bolso&Itemid=843

Paim, J. S. (2008). Reforma sanitária brasileira: contribuição para a compreensão e crítica. EDUFBA-Fiocruz. https://doi.org/10.7476/9788575413593

Paim, J. S. (2007). Planejamento em saúde para não-especialistas. Em G. W. S. Campos et al. (eds.), Tratado de Saúde Coletiva (pp. 767-782). Hucitec-Fiocruz.

Paiva, C. H. A., & Teixeira, L. A. (2014). Reforma sanitária e a criação do Sistema Único de Saúde: notas sobre contextos e autores. História, Ciência e Saúde-Manguinhos, 21(1), 15-36. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-59702014000100002

Portal Fiocruz. (2020). Galeria de Honra: Hésio Cordeiro. https://portal.fiocruz.br/personalidade/hesio-cordeiro

Raw, I. (2007). Biotecnologia e Saúde Pública. Revista USP, 75, 6-17. file:///C:/Users/Leonardo/Downloads/13616-Texto%20do%20artigo-16591-1-10-20120517.pdf https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i75p6-17

Reichlin, A. (2008). Claudio Napoleoni, 1927-1988. https://www.acessa.com/gramsci/?page=visualizar&id=1003

Rovaroto, I. (2019). “Milagre econômico” e desigualdade social: o contraste da ditadura. https://exame.com/economia/milagre-economico-e-desigualdade-social-o-contraste-da-ditadura/

Santos, N. R. (1990). Como é forjado o espaço das políticas públicas com exemplos da área da saúde. Saúde em debate, 28(5), 5-15. http://docvirt.com/asp/acervo_cebes.asp?Bib=SAUDEDEBATE&PASTA=N.28+-+mar.+1990&pesq=&x=96&y=9

Silva, C. R., Carvalho, B. G., Cordoni Júnior, L., & Nunes, E. F. P. A. (2017). Dificuldade de acesso a serviços de média complexidade em municípios de pequeno porte: um estudo de caso. Ciência & Saúde Coletiva, 22(4), 1109-1120. https://doi.org/10.1590/1413-81232017224.27002016

Starobinski, J. (2011). É possível definir o ensaio? Remate de males, 31(1-2), 13-24. https://doi.org/10.20396/remate.v31i1-2.8636219

Tejada, C. A. O., Jacinto, P. A. & Santos, A. M. A. (2014). Pobreza e saúde: evidências de causalidade em um painel de dados para o Brasil. http://www.economiaetecnologia.ufpr.br/XI_ANPEC-Sul/artigos_pd f/a2/ANPEC-Sul-A2-17-pobreza_e_saude_evidenci.pdf/

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.
Sistema OJS - Metabiblioteca |